Jumento do Nordeste

Munido de diploma, um jegue do sertão nordestino vive dando opinião no mundo virtual — de tão ridículo que chega a ser cômico.

Com jeito de santo, o cretino escreve elogios a tudo que é imundície: é juiz Moro, é página de manifestoches de direita, é MBL, é mito militar aqui e acolá, enfim, um cabra burro da peste.

Mas o burro nordestino se acha limpo, acusa todos os políticos de corrupção, exceto o seu preferido fascista. Nordestino e fascista (!!!). Além dessa burrice evidente, o desgraçado implora para o retorno da ditadura e tem outra mania de perseguição dos anos Lula (boa parte do seu ódio nasceu quando o ex-operário se tornou presidente). Resumindo: é um cabra de satanás que vive dando uma de moralista, via Facebook!

Perder tempo com um quadrúpede assim não é uma boa coisa, mas o fedelho teve uma crise recentemente, publicou uma enxurrada de agressões misóginas, homofóbicas e racistas, com a mesma miséria intelectual de seus textos. Aliás, misturando livros escritos por juristas, o jegue de diploma polui visualmente a linha do tempo com palavras do jargão jurídico, mas cheio de erros gramaticais e ortográficos.